Estudo avalia estimativas de herdabilidade de abelhas nativas e manejadas

Estudo avalia estimativas de herdabilidade de abelhas nativas e manejadas

21 de novembro de 2016

Pesquisadores do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (IB-USP) e do Instituto Tecnológico Vale – Desenvolvimento Sustentável (ITV-DS) realizaram uma revisão na literatura sobre estimativas de herdabilidade no grupo Hymenoptera, com foco em abelhas nativas e manejadas. As estimativas de herdabilidade medem o componente genético de uma característica e são importantes para programas de melhoramento genético e conservação.

Embora abelhas nativas e manejadas estejam em crescente ameaça devido à degradação dos habitats naturais, colocando em risco a diversidade de plantas e a produção agrícola, nenhum estudo até então havia apresentado uma revisão sistemática de estimativas de herdabilidade para o grupo.

Neste estudo, estão reunidas todas as estimativas de herdabilidade disponíveis para abelhas, formigas e vespas, investigando quais fatores afetam essas estimativas e suas correlações genéticas.

abelha sem ferrão

Crédito: Cristiano Menezes

Os pesquisadores indicam que a herdabilidade é influenciada pelo tipo da característica, sendo que caracteres morfológicos exibem estimativas de herdabilidade mais altas, enquanto características relacionadas à defesa e ao metabolismo apresentam as estimativas mais baixas.

Entre outros dados, os resultados apontam para a importância de manter a variância genética em características relacionadas ao sucesso reprodutivo. O estudo também revela a importância de considerar estimativas de herdabilidade e correlações genéticas no planejamento de programas de melhoramento genético e conservação.

O estudo Quantitative conservation genetics of wild and managed bees (Koffler S, Kleinert A, Jaffé R (2016) está disponível em Conservation Genetics.

Compartilhe: