Abelhas, as rainhas da biodiversidade

13 de Maio de 2016

São Paulo, 13 de maio de 2016 – No dia 22 de maio, o mundo celebra mais um Dia Internacional da Biodiversidade. A Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu a data em 1992 para conscientizar as pessoas sobre a necessidade de conservar e proteger a diversidade de vida no planeta. O tema escolhido para o International Day for Biological Diversity em 2016 é Integração da Biodiversidade: Sustentar Pessoas e seus meios de Subsistência”.

O Instituto Chico Mendes de Preservação da Biodiversidade (ICMBio), órgão federal responsável por cuidar da biodiversidade, afirma que o Brasil possui mais de 120 mil espécies de animais e 40 mil de plantas. A variedade de biomas reflete a enorme riqueza da flora e da fauna brasileiras: segundo o Ministério do Meio Ambiente, o País abriga a maior biodiversidade do planeta. Esta abundante variedade de vida – que se traduz em mais de 20% do número total de espécies da Terra – eleva o Brasil ao posto de principal nação entre os 17 países de maior biodiversidade.

Não podemos falar sobre o assunto sem citar as abelhas. A biodiversidade como conhecemos depende desses insetos e seu incansável serviço de polinização, que garante a produção de frutos e sementes e a reprodução de inúmeras plantas, sendo, portanto, um dos principais meios de promoção e manutenção da biodiversidade no planeta.  De acordo com dados da ONU, elas são responsáveis por 73% da polinização das plantas cultivadas e utilizadas de forma direta ou indireta na alimentação humana.

Ana Lúcia Assad, diretora-executiva da A.B.E.L.H.A., afirma que, os benefícios dessa relação são essenciais e diretamente ligados ao nosso dia a dia. “A polinização é um serviço ecossistêmico essencial para a reprodução e a manutenção da diversidade de espécies de plantas, fornecimento de alimentos para humanos e animais e restauração ambiental para o resgate da flora original”.

Compartilhe: