São Paulo lança plano de fortalecimento da apicultura e da meliponicultura paulista

São Paulo lança plano de fortalecimento da apicultura e da meliponicultura paulista

14 de setembro de 2018

Um plano ambicioso, inédito e aguardado pelo setor apícola, que revela diretrizes para o fortalecimento da apicultura e da meliponicultura no Estado de S. Paulo, será apresentado no próximo 17 de setembro no município de Engenheiro Coelho, no auditório do Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp). A elaboração do plano teve a participação de entidades públicas como a Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (SAA), por meio de suas coordenadorias e institutos de pesquisa, universidades e, principalmente, entidades do setor privado.

A cadeia produtiva do mel é uma importante atividade econômica, que gera emprego e renda para apicultores, agricultores e agroindústrias, contribuindo para o desenvolvimento social e econômico. Anualmente, o Estado produz cerca de 3,7 mil toneladas de mel. A meta do plano é que, em dez anos, a produção cresça 71%. O plano visa ainda ampliar em 78% o valor econômico do produto mel, em decorrência do aumento da produção, do ganho de arrecadação proveniente deste aumento e da diminuição da perda de setores que ainda não estão formalizados.

Para o sucesso do plano, todos os elos das cadeias produtivas da apicultura e meliponicultura participaram da elaboração – apicultores; meliponicultores; representantes da iniciativa privada, de universidades e do poder público; pesquisadores e extensionistas – e traçaram metas para a execução de ação conjunta que promova o desenvolvimento sustentável dessas cadeias, do campo ao consumidor.

“Com essa sinergia, será possível estabelecer um plano estadual abrangente, com ganhos para toda a cadeia produtiva”, afirmou João Brunelli Junior, coordenador da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI). “Entre os principais desafios estão a profissionalização do segmento; a adoção de Boas Práticas Agrícolas e Apícolas, para que não se utilizem indevidamente os agroquímicos; a obtenção e a difusão de mais informações para o setor produtivo; e a definição de metas e objetivos a serem atingidos, num processo de planejamento participativo”, salientou Brunelli, afirmando que a CATI possui um papel central.

Segundo dados da Confederação Brasileira de Apicultura (CBA) e da Associação Brasileira dos Exportadores de Mel (Abemel), o setor possui 184 entrepostos com Serviço de Inspeção Federal (SIF), centenas de entrepostos com Serviço de Inspeção estadual e municipal, uma estimativa de 450 mil ocupações diretas no campo, milhares de empregos – sendo 19 mil na indústria de processamento (entrepostos) e 17 mil na indústria de insumos (máquinas e equipamentos) – e um mercado de varejo avaliado em R$ 796 milhões. Atualmente, o Brasil ocupa a 9ª posição em termos de volume de exportação de mel.

 

Serviço

Apresentação do Plano de Fortalecimento da Apicultura e da Meliponicultura do Estado de São Paulo

Data: 17 de setembro de 2018

Local: Auditório da Unasp – Engenheiro Coelho (SP)

Horário: das 14h às 16h

Mais informações: (19) 3743-3858

Compartilhe: