Conferência da ONU referenda relatório sobre conservação de polinizadores

Conferência da ONU referenda relatório sobre conservação de polinizadores
dezembro 21 21:32 2016 Imprima Este Artigo

A 13ª Conferência da Partes (COP) da Convenção da Diversidade Biológica (CDB) terminou no último dia 17, no México, com sinais importantes para a conservação ambiental.

Um dos temas abordados com especial atenção é a relação entre polinizadores, produção agrícola e conservação ambiental. Na reunião, a CDB acolheu e referendou a Avaliação Temática de Polinizadores, Polinização e Produção de Alimentos, desenvolvida pela Plataforma Intergovernamental de Biodiversidade e Serviços de Ecossistemas (IPBES) – órgão independente, aberto a todos os países-membros das Nações Unidas, e principal avaliador do estado da biodiversidade do planeta, seus ecossistemas e os serviços essenciais que prestam à sociedade. O documento, em inglês, está disponível no site da CDB.

Na prática, o referendo da CDB significa que a Convenção apoia e encoraja os países a usar o relatório para orientar seus esforços e desenvolver planos de ação que visem a melhoria da gestão de polinizadores, atacar os fatores de declínio dos polinizadores e trabalhar por sistemas de produção agrícola sustentáveis, entre outros aspectos.

Avaliação temáticaabelha-borboleta-flor-red

O estudo da IPBES avaliou criticamente um vasto conhecimento (cerca de três mil artigos científicos) sobre polinizadores, polinização e produção de alimentos para garantir que tomadores de decisão tenham acesso a informações da mais alta qualidade.

Além de apontar os riscos para diversas espécies de polinizadores — e que ameaçam não apenas a agricultura e o abastecimento de diversas populações como também bilhões de dólares em produção agrícola —, o documento ressalta uma série de caminhos para conservar os polinizadores de maneira eficiente , entre eles:

  • As salvaguardas incluem a promoção de uma agricultura sustentável, que ajuda a diversificar a paisagem agrícola e faz uso de processos ecológicos, como parte da produção de alimentos;
  • Manutenção ou criação de maior diversidade de habitats para os polinizadores em paisagens agrícolas e urbanas;
  • Apoio a práticas tradicionais que gerem rotação de culturas e coprodução entre a ciência e o conhecimento local indígena;
  • Promoção da educação e troca de conhecimentos entre agricultores, cientistas, indústria, comunidades e público em geral;
  • Diminuição da exposição de polinizadores a pesticidas, reduzindo seu uso, buscando formas alternativas de controle de pragas, e adoção de uma série de práticas específicas da aplicação, incluindo as tecnologias de redução de deriva;
  • Aprimoramento da criação de abelhas para controle de patógenos, assim como de melhor regulamentação do comércio e uso de polinizadores comerciais.

Sobre a CDB e a COP

A Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB) é um tratado da Organização das Nações Unidas e um dos mais importantes instrumentos internacionais relacionados ao meio ambiente. Ela foi estabelecida durante a ECO-92 – a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (CNUMAD), realizada no Rio de Janeiro em junho de 1992 – e é o principal fórum mundial para questões relacionadas ao tema.

A Conferência das Partes (COP) é a reunião do comitê executivo da CDB. Ela ocorre a cada dois anos e reúne delegações oficiais dos 196 países membros (sendo 168 signatários) da Convenção sobre Diversidade Biológica.