Abelhas melíferas podem sentir o sabor por meio de glândulas nas pernas

Abelhas melíferas podem sentir o sabor por meio de glândulas nas pernas

11 de Maio de 2015

Um estudo divulgado na Frontiers in Behavioral Neuroscience apontou que as abelhas melíferas (Apis mellifera) podem diferenciar o sabor dos alimentos por meio de glândulas tarsais, localizadas em suas pernas. O sabor desempenha um papel crucial na vida das abelhas, pois sua sobrevivência depende da coleta e da ingestão de néctar e pólen, bem como de outras substâncias.

Centenas de reações comportamentais das abelhas melíferas foram estudadas pelos pesquisadores, que aplicaram substâncias açucaradas, amargas e salgadas às suas pernas. Os experimentos demonstraram que a estimulação do tarso dianteiro com sacarose e substâncias amargas ou água produziu resultados diferentes, dependendo da sequência de estimulação.

Quando a sacarose foi aplicada no início da sequência, provocando assim a extensão da “língua” (probóscide), nenhuma substância amarga foi capaz de induzir sua retração, o que sugere que a estimulação pela sacarose gerou um estado de excitação.

Em outra situação, quando substâncias amargas ou água foram aplicadas no início da sequência, a estimulação pela sacarose pôde até provocar a extensão da “língua”, contudo com menor extensão, sugerindo inibição.

Experimentos electrofisiológicos demonstraram ainda que as células receptoras tarsais são altamente sensíveis a soluções salinas em baixas concentrações.

Fontes: Frontiers in Behavioral Neuroscience e Science Magazine